Campo Novo do Parecis.MT...14/11/88



                              ...Segunda feira...9,25 hs.
Ontem não deu para escrever, também levantamos as 5 hs da manhã e fomos dormir eram 22 hs, só paramos para almoçar, assim mesmo comemos no restaurante. Mas enfim saímos da selva. Eu e a Mariele vínhamos fazendo uma bagunça, gritava, imitava o tarzan, xingava os indios imaginários, enfim aquela algazarra. Também quando chegamos, estávamos tão cansados que caímos na cama e morremos. Nem jantamos, nem banho tomamos, só acordei hoje as 8,30 hs, também com tanto solavanco, quem é que ia chegar inteiro, e ainda por cima um temporal de chuva e trovões, que chegava a clarear tudo. Depois que passou a chuva o Xavier abriu a janela, entrou um monte de borrachudo, hoje estou toda picada, somos alérgicas a este bicho. Agora estamos parados aqui, consertando o pneu do caminhão do Valnei, tivemos que mandar buscar o borracheiro, porque ainda estamos longe do lugarejo. Aproveitei e fiz café, se demorar muito vamos passar fome, pois não temos nada para fazer de comida, qualquer coisa se toma café novamente. Chamei a Mariele de xereta, ela quis saber o que era xereta.
Me deu uma dor de barriga, cagei bastante, logo depois foi o Xavier, fez um cocozão que se alguém passar por perto, vai pensar que é uma cobra enroscada. A Mariele desde aquele dia entupiu. Está me dando dor de barriga de novo e agora não dá , pois o Valnei e o borracheiro estão lá fora, vou Ter que agüentar..... O Xavier está arrumando a mangueira do ar. Estamos indo para S. Paulo, eu sugeri que fossemos para casa, mas o Xavier disse que é para agüentar um pouco mais, pois quem já agüentou até aqui, ele disse também que até o fim do ano a gente gasta tudo o que ganhou, e ele tem razão, porque senão como vamos poder Ter um fim de ano razoável. Penso no André, como estará, será que o Paulinho deu o dinheiro para ele. Amanhã é dia das eleições, vamos Ter que votar em transito. Faltam só 30 dias para nós chegarmos em casa. Está nublado, daqui a pouco chove, aliás ela já vem vindo ali adiante, e quando o tempo fica assim eu fico numa melancolia. Já está chovendo.... Fui pentear a Mariele, nossos cabelos estão duros que nem cabelo pixaim, também o que está faltando é um bom banho de creme nestes cabelos. Vim na esperança de encontrar a minha churrasqueira que perdemos na ida, mas que nada, quem achou ganhou um presentão, pois era bem novinha. O Xavier está que é um amor, também , tenho tentado me controlar mais, não respondo quando ele fala ou reclama de alguma coisa, tem dado certo...
Estou fumando a última carteira de cigarros, só falta terminar por aqui, pois para comprar outra, só daqui a 100 km. Não pude telefonar para a Aninha neste fim de semana, também neste fim de mundo, amanhã se Deus quiser, mato a saudade., que Deus cuide deles. Eles estão trocando o pneu abaixo de chuva. Já estou cheia de roupa para lavar, faz uma semana que lavei e já tenho um monte de novo, as toalhas de banho não dá nem para pegar, amarelas, duras, sujas com aquela terra vermelha até eu estou vermelha. Meus pés e mãos parecem de colono. A Mariele bateu com a cabeça e disse “ai minhas guampas “, eu falei:
___ filha, criança não tem guampa, ela então respondeu:
___ Só o pai.... o Xavier morreu de rir. Onde será que ela escutou isto???


Nenhum comentário:

Postar um comentário